5 de junho de 2017

A Pfizer procura obter patente sobre uma terapia para a ataxia de Friedreich já desenvolvida pela Resverlogix



Autora: Magdalena Kegel ‎
25‎-‎05‎-‎2017

A Pfizer está a tentar conseguir obter uma patente europeia para uma família de compostos que podem tratar a ataxia de Friedreich, através do aumento dos níveis da proteína frataxin que se encontra em falta nos portadores desta doença.

A sua candidatura à patente refere que a Resverlogix já desenvolveu uma terapia designada de apabetalone (RVX-208) que se baseia nos compostos supra referidos. A Pfizer indicou, no seu pedido, que quer que a patente abranja todos esses compostos, incluindo terapias, como a apabetalone, baseadas nestes e desenvolvidas por outras empresas.

O pedido de patente solicita que a Pfizer, com sede em Nova York, tenha o direito exclusivo de usar os inibidores BET da família dos bromodomain inhibitors para aumentar a proteína frataxin em pacientes com ataxia de Friedreich. BET significa bromodomain e extra-terminal. Apabetalone é um composto BET.

A Resverlogix, com sede em Calgary, no Canadá, respondeu às notícias do pedido de patente de forma pouco expressiva. Em vez de indicar que iria desafiar o pedido de patente, o presidente e diretor executivo da empresa, Donald McCaffrey, disse que "congratulamo-nos com a atenção dada à Resverlogix e à apabetalone, por grupos industriais tão significativos como a Nature Reviews Nephrology e a Pfizer".

"Devido ao crescimento dramático das publicações [em revistas científicas] sobre a BET Bromodomain, durante a última década, não é surpreendente que o nosso composto avançado de fase 3, apabetalone, esteja a receber cada vez mais atenção por parte das comunidades académicas e farmacêuticas globais", acrescentou McCaffrey, num comunicado de imprensa.

O pedido de patente da Pfizer, intitulado "Reguladores de Frataxin" (WO 2017/037567 A1), inclui o uso de BET family of bromodomain inhibitors para impulsionar a expressão da frataxin. A expressão é o processo através do qual a informação de um gene é utilizada para criar um produto funcional como uma proteína.

Embora o pedido da patente cubra os BET bromodomain inhibitors como um grupo, refere, especificamente, a apabetalone como um composto que poderia ser eficaz no tratamento da ataxia de Friedreich.

Os BET bromodomain inhibitors podem alterar a atividade genética, com impacto nos chamados mecanismos epigenéticos. Esses mecanismos são modificações no DNA que ativam ou desativam os genes. Por exemplo, adicionar uma bandeira química a uma molécula de DNA que permitisse ao mecanismo de produção de proteínas saber se um gene estava ou não apto para a produção de proteínas.

Estes mecanismos, de acordo com a Resverlogix, poderiam ser utilizados ​​para tratar várias doenças, entra as quais a insuficiência renal crónica e a doença de Alzheimer.

A apabetalona é o primeiro deste tipo de composto a alcançar a fase de ensaio clínico.

A fase 3 do seu ensaio clinico (NCT02586155) está a avaliar a capacidade que a mesma tem de poder ajudar os pacientes com diabetes de alto risco tipo 2 e que também possuam doença cardíaca coronária. E a fase 2a (NCT03160430) está a avaliar a sua capacidade de trazer benefícios aos pacientes com insuficiência renal crónica, em fase terminal, que se encontrem a efetuar diálise.

Entretanto, a Resverlogix afirmou que um estudo sobre a capacidade da apabetalone ajudar pacientes com insuficiência renal crónica foi publicado recentemente numa revista científica, sustentando a eficácia da droga no tratamento desta condição, conforme declarado pela empresa. De acordo com a empresa, esta publicação apoiou a eficácia da droga no combate a esta condição.[1]

Fonte da Noticia: https://friedreichsataxianews.com/2017/05/25/pfizer-seeks-patent-covering-friedreichs-ataxia-therapy-resverlogixs-has-already-developed/
Tradução para APAHE por: Bárbara Cerdeiras



[1] Os termos científicos estão em inglês, como no original.