2 de agosto de 2016

A ataxia cerebelosa não pode ser curada, mas nalguns casos pode ser tratada


Não é possível cura para a maioria dos pacientes que sofra de um distúrbio do movimento debilitantechamado ataxia cerebelosa. 

Mas nalguns desses distúrbios, os pacientes podem ser eficazmente tratados com regimes, tais como medicamentos, altas doses de vitamina E e dietas sem glúten, de acordo com um artigo no jornal Movement Disorders. 

"Os médicos devem familiarizar-se com estas doenças, porque o maior benefício terapêutico só é possível quando feito cedo. Estas condições incomuns representam uma oportunidade única para tratar doenças incuráveis ​​e progressivas", dizem o Dr. Adolfo Ramirez-Zamora, o Dr. José Biller e colegas. Dr. Ramirez-Zamora é professor assistente de neurologia e distinguido com o título Phyllis E. Dake em Distúrbios do Movimento no Departamento de Neurologia do Centro Médico de Albany (EUA) e um antigo chefe residente de neurologia da Universidade Loyola de Chicago (EUA)Dr. Biller é presidente do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Stritch da Universidade Loyola de Chicago (EUA). 



A palavra ataxia significa sem coordenação. Os sintomas da ataxia incluem má coordenação, andar cambaleante, dificuldade em falar e engolir, movimentos oculares vai-e-vem involuntários e dificuldade em realizar tarefas finas motoras, como escrever ou abotoar uma camisa. As ataxias hereditárias são degenerativas e progridem ao longo do tempo. As ataxias, geralmente, são devido a danos no cerebelo, uma parte do cérebro que controla a coordenação muscular. 

A lesão cerebelosa crónica devido ao álcool ou outras substâncias comumente usadas como o lítio pode ser tratada através da descontinuação das substâncias ilícitas, pode ler-se no artigo. 

Abaixo está uma amostragem de outros tratamentos eficazes para a ataxia cerebelosa, detalhadas no artigo. 

A ataxia com deficiência de vitamina E (AVED) prejudica a capacidade do organismo para utilizar a vitamina E, o que resulta na ataxia e outros sintomas debilitantes. Altas doses de vitamina E (800 mg/d) normalmente param a progressão da doença e levam a melhoria neurológica - embora a recuperação possa ser lenta e incompleta. "Os resultados dos suplementos de vitamina E também parecem ser mais benéficos se forem iniciado em pacientes com menos de 15 anos de duração da doença; quanto mais cedo após o diagnóstico a toma de suplementos é iniciada, o melhor ", lê-se no artigo. 

A xantomatose cerebrotendinosa (CTX) é tratada com ácidquenodesoxicólico, que é feito a partir dos ácidos biliares que ocorrem naturalmente. Começar o tratamento precocemente é fundamental para evitar a deterioração neurológica. 

ataxia do glúten pode ser tratada com uma dieta rigorosa sem glúten. deficiência tipo 1 do transportador de glutose pode ser tratada com uma dieta quetogénica com alto teor de gordura e poucos hidratos de carbonos. A ataxia glutâmica do àcido descarboxilase pode ser tratada com imunoglobulina intravenosa (IVIG) ou esteróides. 


(artigo traduzido)