15 de março de 2016

A incrível caminhada de 1.100 km duma avó, em 55 dias, de Sydney a Melbourne (Austrália) para aumentar a consciencialização sobre a doença rara e incurável do seu neto

·         O neto de Fiona Dowdell, Tristan com cinco anos, tem ataxia de Friedreich
·         A doença rara leva a problemas com a fala, audição e no andar
·         Eventualmente isso pode levar a diabetes, doença cardíaca e insuficiência cardíaca
·         A doença não tem cura e Tristan é um dos mais jovem a ser diagnosticado com ela
·         A Sra. Dowdell andará durante as próximas sete semanas, a fim de angariar maior sensibilização
·         Ela vai andar de 1.100 quilómetros durante mais de 55 dias, entre Sydney e Melbourne
·         Ela tem treinado durante meses e espera angariar 20.000 dólares
·         A Sra. Dowdell será seguida pela sua família numa caravana durante a viagem

Em 2014, o neto de Fiona Dowdell, Tristan, então com quatro anos, foi diagnosticado com a doença degenerativa ataxia de Friedreich - e é um dos mais jovem a ser diagnosticado com a doença.
A condição neurológica rara afeta uma em cada 30.000 pessoas e leva a fala arrastada, problemas em caminhar, perda de visão, fala e audição, bem como questões como diabetes, doença cardíaca e escoliose... eventualmente levando à insuficiência cardíaca.
Para chamar a atenção para a condição debilitante do neto de cinco anos de idade, a Sra Dowdell, de Berwick, Victoria (Austrália), vai andar uns surpreendentes 1.100 quilómetros de Sydney até Melbourne (Austrália) e angariar fundos para a investigação na AF.
De acordo com a página do Facebook do menino, devido à sua idade, a sua doença será "agressiva e implacável" e sem um tratamento ou cura, ele poderá "estar numa cadeira de rodas por volta dos sete anos e pode faecet antes de completar 18 anos.”
Nos últimos seis meses a Sra Dowdell, de 53 anos, tem treinado arduamente com longas caminhadas, duas sessões de treino pessoal por semana e muito trabalho de equilíbrio e alongamentos, para garantir que ela estava em forma o suficiente para completar a sua esgotante aventura de sete semanas.
A motivada avó partiu de Sydney na segunda-feira de manhã e vai andar uma média de 20 quilómetros por dia ao longo da costa em direção a Melbourne - uma jornada que levará cerca de 55 dias.
Em meados de janeiro, a Sra. Dowdell lesionou o seu menisco - um obstáculo que deixou muitos a questionar-se se ela seria capaz de fazer a caminhada.
No entanto, após reunião com seu cirurgião decidiram que ela iria completar a caminhada e ter qualquer cirurgia necessária quando voltasse, bem como bastante fisioterapia.
A Sra. Dowdell vai andar todo o caminho até à Praça da Federação (Federation Square) em Melbourne, e será seguida de perto pelo avô de Tristan e bisavó numa caravana.
'Desde Tristan tinha 1 ano que caía constantemente, estava sempre cansado e não queria
andar em terreno irregular (relva ou areia). Quando as suas pernas começaram a falhar, sem motivo aparente, sabíamos que algo estava seriamente errado ", escreveu a família na página Everyday Hero de Tristan.
"Vimos muitos especialistas e, finalmente, aos 4 anos de idade, ele foi diagnosticado com ataxia de Friedreich. Ficámos devastados. Eu sabia que era mau. Tudo o que eu pensava era ‘quanto tempo ele tem?’ Agora sei, não é muito tempo.”
O dinheiro angariado com a caminhada da Sra. Dowdell irá para novos ensaios, medicamentos e mais investigadores a trabalhar para uma cura e diretamente para a salvação de Tristan e outros como ele.
Até agora, a Sra. Dowdell já angariou 8,384.68 dólares da sua meta de 20.000  dólares, após 70 doações generosas.
A avó orgulhosa partiu da Opera House (Sydney) às 08h00 de segunda-feira e está no seu caminho para a costa sul, onde ela vai passar por Wollongong, Kiama, Narooma, Bermagui e Lakes Entrance.
Também tinha t-shirts oficiais feitas para si mesma e Tristan, enquanto caminhavam lado a lado durante o início da longa caminhada.
A Sra. Dowdell atualmente tem 216 seguidores em sua página do Facebook, onde irá compartilhar os detalhes de sua viagem durante as próximas sete semanas.


(artigo traduzido)